Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Entre para seguir isso  

    As gafes do mundo da TI

       (0 análises)

    Fernando Mercês

    Essas são algumas gafes que vez ou outra flagramos a galera de TI caindo. Na prática são termos confusos que já foram utilizado de forma inadequada muitas vezes e a intenção deste artigo é desmistificar, de uma vez por todas, alguns conceitos. 😌

    1. Programação em HTML

      HTML (HyperText Markup Language), como o próprio nome sugere, é uma linguagem sim, mas não é de programação. Para ser, esta precisaria expressar um algoritmo que pudesse utilizar-se de estruturas de controle e loop, por exemplo, recursos fundamentais para qualquer linguagem de programação. Logo, quem sabe HTML sabe criar páginas em HTML. Programar é outra história…

    2. Estabilizador não serve pra nada

      Infelizmente ele serve pra estragar sua fonte. Isso mesmo, o trabalho de estabilização feito por estes componentes é tão mal feito e lento, que ao tentar corrigir uma anomalia na energia ele atrapalha a fonte, que seria capaz de corrigir sozinha, mas é obrigada a esperar o estabilizador fazer seu trabalho porco e corrigir a anomalia duas vezes! O investimento correto deve ser feito na fonte do computador, sem economia porca. Um filtro de linha pode ser prático no caso de um spike (grandes descargas de curto prazo, como as geradas por raios) porque o fuzível dele pode abrir e proteger o da fonte (que é mais chato de trocar porque tem que tirá-la do computador e abri-la), mas proteção mesmo é na fonte e por isso é interessante adquirir uma boa, mas só faz sentido para desktops montados. No mundo atual, onde os laptops dominam, estabilizadores não servem para nada mesmo. 😝

    3. O positivo e negativo da tomada…

      O tipo de corrente que chega em nossas tomadas é chamado de alternada. Neste tipo não há pólos positivo ou negativo, mas sim fase e neutro. Na fase há a tal alternagem de polaridade, entre positivo e negativo, cerca de 60 vezes por segundo no caso das capitais brasileiras. O neutro é ligado à terra em algum momento e ao conectar algum componente (como uma lâmpada) entre este caminho fase-neutro você faz com que energia passe pelo componente. No caso da lâmpada, ela acende. 💡 Vale a pena estudar o básico sobre corrente contínua e corrente alternada porque o assunto é longo.

    4. Baixei o drive da placa de…

      Você baixou o driver, filhão. Com ‘r’ no final. Drive, sem ‘r’, diz respeito aos dispositivos físicos como drive de CD-ROM, drive de disquete, ZIP drive etc. Já driver, com ‘r’, é um programa responsável por controlar e permitir o uso de um determinado dispositivo em um sistema operacional.

    5. Essa placa é show, nem precisa de driver!

      Ah precisa. 🙏 O que ocorre é que seu sistema já vem com drivers para vários dispositivos e você pode notar o dispositivo funcionando sem precisar instalar nada além do próprio sistema. Na verdade o driver para aquele dispositivo não estava em uso, mas foi instalado e agora está em uso quando da inserção do dispositivo no PC.

    6. Vou formatar essa HD aqui

      Formatar é criar um formato. Não se formata HDs, mas sim partições. Dizer “vou formatar uma partição como NTFS” é correto. Tanto é que pra formatar você precisa especificar um sistema de arquivos desejado. Adicionalmente, o HD (Hard Disk), já que é um disco, possui gênero masculino, então o correto é dizer “o HD”, como em “o disco”.

    7. Meu HD não tá particionado!

      Em geral para instalar um sistema operacional é preciso, sim, criar nem que seja uma única partição e depois disso formatá-la com um filesystem para o qual o sistema operacional tenha driver e saiba trabalhar. Logo, seu disco deverá ter, no mínimo, uma partição e por isso ele está particionado sim. Uma partição. ☝️

    8. Formatar não apaga tudo, rapá!

      Formatar é criar um formato. A ilusão de que a partição está vazia após a formatação deve-se ao fato de que a estrutura do filesystem presente naquela partição foi recriada e a referência aos arquivos é perdida, por isso os arquivos não são mais exibidos, mas nenhum foi apagado. Lembrando que nos dias atuais apagar de um disco via software é impossível. Uma vez que ele tenha sido escrito/magnetizado, por assim dizer, o que se pode fazer é substituir os bytes contidos nele por exemplo, para simular deleção. Remover os bits (energia) não é impossível, mas não é comum.

    9. Põe o HD no congelador que ele volta a funcionar!

      Embora haja um agrupamento de moléculas sob baixas temperaturas, que são responsáveis inclusive pela falsa sensação de carga de pilhas também colocadas no congelador, o efeito não é comprovado e, caso haja algum benefício, será fulminante. Duvido muito que dê tempo para recuperar algo. HD com problema na placa lógica pode ter a placa lógica substituída, mas HDs com problemas físicos, em geral, não têm conserto.

    10. Faz uma formatação de baixo nível que tira os bad blocks!

      Bad blocks (ou setores defeituosos) caracterizam um problema físico, um câncer que se espalha. Não se resolve hardware com software. É como tentar anexar um suricate num e-mail. Além disso, já parou para se perguntar o que significa formatação de baixo nível, também conhecida como LLF – Low Level Formatting? Uma dica: ZeroFill (famoso programa que preenche com zeros todos os setores do disco) não é.

    11. É possível recuperar dados de um HD formatado até X vezes!

      Repita comigo: HD não se formata (pelo menos não mais, com a extinção da LLF). NINOVO, a formatação de uma partição dá a ela um formato. Se você formatar 4, 7, 12 ou 7038 vezes, dá no mesmo. Os dados continuam íntegros. Agora, se você fizer um zerofill uma vez, já f*** tudo. Se ao invés de zeros, escrever bytes randômicos, piorou. Como comento na gafe 8, não se apaga nada de HD, só se sobrescreve.

    12. Esse barulho é a agulha do HD!

      Quem tem agulha é sua avó! HD tem cabeça de leitura e gravação e ela, pasme, não enconsta na superfície do prato. É eletromagnetismo. Favor esquecer a analogia com toca-discos.

    13. Venho por meio deste… Segue em anexo…

      Não precisa tentar enfeitar. Se você tá escrevendo um e-mail, é óbvio que é por meio dele que vai informar alguma coisa. Difícil seria informar algo “por meio de outro e-mail”. E o que tá anexo, tá anexo. De onde vem esse “em”!?

    14. Nunca minha rede foi atacada, nunca pegamos vírus!

      O ataque bem sucedido não faz ‘barulho’. Quando você não sabe é justamente quando dá certo. 😈

    15. Instala um antivírus gratuito! Esse aqui é muito bom!

      Trabalhando na indústria de AV eu vi coisas horríveis. O esforço pra tentar ficar na frente dos criadores de vírus é gigante, caro e por vezes frustrante. Todos os antivírus mais caros das companhias com mais dinheiro sofrem para tentar chegar lá. Desculpe, mas os antivírus gratuitos não têm a menor chance de oferecer qualquer segurança. Quem não investe num antivírus pago hoje para computador e smartphone, pra mim, é maluco(a).

    16. Não existe vírus pra Linux

      Este sistema é o mais utilizado em webservers no mundo. Você acha mesmo que não haveria vírus capazes de se propagar neles? Faz uma busca por “linux malware” só. Ah, e o Android, sabia que já atingimos a marca de 1 milhão de vírus diferentes para esta plataforma (que é Linux)? Guarde isso: o crime segue o dinheiro. Não importa o sistema utilizado, se o cibercrime ver valor em ameaças para ele, vão surgir.

    17. Gateway da placa rede

      O Windows é craque em ensinar errado. O que ele chama de gateway na verdade é a rota padrão para pacotes fora da rede local. É Highlander: só pode haver um! Essa zona que ele cria colocando a configuração de gateway por placa de rede só confunde. E mais, tem gente que acha que sempre precisa de gateway ao configurar uma rede no Windows, o que não é verdade. Se você não vai sair da rede local (para internet ou outra rede), não precisa definir uma rota para fora dela.

    18. Hackers roubaram…

      Quem comete crime é criminoso. Quem faz hacking de qualquer coisa é hacker. Uma coisa não implica a outra.

    19. Tá fora do ar! ‘Pingei’ e ele não respondeu.

      O ping dispara pacotes ICMP. Se o alvo ignorar pacotes ICMP, você não vai ter resposta e mesmo assim ele pode estar na rede funcionando normalmente. Com o nmap você tem mais chances de saber se um host está realmente no ar ou não.

    20. Quebrei o SSL!

      Parece coisa de maluco mas já ouvi umas vezes. Não que seja impossível, mas não confunda man-in-the-middle com quebra da criptografia. Tem um abismo entre estes tópicos!

    21. Não uso software livre porque ninguém me dá suporte!

      Primeiro: sim, você já usa, mas não sabe. Segundo: várias empresas nacionais e internacionais oferecem suporte, é só procurar. Terceiro: Muitas das próprias organizações que fazem software livre oferecem versões pagas destes softwares, com suporte. Pois é, livre é diferente de gratuito. Um software pode ser gratuito e proprietário enquanto outro pode ser livre e pago. Legal né?

    22. Não dá pra ganhar dinheiro com software livre!

      Errou. Errou feio, errou rude. O modelo de negócios muda. Há várias empresas e investidores, grandes clientes como bancos e governos. Se você ainda pensa assim, não deve estar ganhando dinheiro no mundo proprietário também, porque o problema está em você!

    23. Linux é difícil

      Outro mito. Há vários casos de crianças que sempre usaram Linux dentro de casa e acharam o Windows difícil quando foram usar na casa de amigos. É questão de costume.

    24. MP3 com qualidade de CD

      Se existisse já seria ruim. Ao ripar de um CD há perda de qualidade, sempre. Na conversão de analógico para digital já há, por isso ainda há tantos amantes do vinil. Lembre-se que MP3 é um codec (compressor/decompressor), e se na maioria dos casos de compressão de áudio há perda, mesmo que seu ouvido não note!

    25. Java roda em qualquer lugar!

      Java só roda em “lugares” que possuem a JVM (Java Virtual Machine). Além disso, há várias máquinas virtuais Java diferentes, com suportes diferentes.

    26. Linguagem C é velha

      Velho é o seu professor que ensina como calcular a média de três alunos no Turbo C. A última atualização da linguagem C foi em 2011 e as principais suítes de compiladores como gcc, llvm, Visual Studio, continuam em constante desenvolvimento. Mais da metade do universo é escrito em C. Portanto, vá estudar C! 👨🏿‍💻

    27. Aperta o Del pra entrar na BIOS!

      Pelo sangue de Chessus, não dá pra entrar lá não. Pressionando a tecla Del, F2, F10 ou qualquer que seja no seu computador, você acessa o SETUP, que é um software de configuração do BIOS. E é “o” BIOS porque ele é um sistema (Basic Input/Output System), logo, gênero masculino.

    28. A voltagem e a amperagem…

      Talvez de tão faladas já sejam aceitas, mas expressões como essas não soam muito elegantes. Em português, o que é medido em Volts (V) é a tensão elétrica (às vezes chamada de força eletro-motriz ou diferença de potencial). Já o ampère (A) é usado para intensidade de corrente [elétrica]. Espero que não criem ohmagem, wattagem, metragem (opa… essa já criaram!), quilagem, hertzagem…

    29. Senha forte: números, letras maiúsculas e minúsculas, caracteres espaciais plunct plact zum!

      Ok, ok. Aí vem o usuário danadinho e põe “Senha1”. Assim que expira ele muda: “Senha2”. O problema dessa gafe não é a validade técnica mas a efetividade de jogar essa responsa para o coitado do usuário que mal sabe o motivo de ele ter uma senha tão chata. Se você facilita, fica fácil pra força bruta, se dificulta, ele cola no monitor. Solução: PENSA. O sucesso de um ataque de força bruta depende de duas coisas: a complexidade da senha, o que inclui tamanho, não possuir palavras de dicionário, conter alta entropia etc e o poder computacional do atacante. Mas não precisa complicar muito. Uma senha “Meng0==========” pode ser mais forte que “5!8@6_(hiKij9” (que é bem ruim de decorar). Não é feitiçaria, o nome é entropia. Como o link enaltece, o padding (sinais de igual neste caso) deve ser criado pelo usuário, ou seja, se você ensinar seu usuário a criar algo pra colocar “antes e/ou depois” da senha várias vezes, ele vai se lembrar e ainda assim terá uma senha forte. Assim, uma pessoa sensível que queria usar a senha “Amor” agora pode.. Basta adicionar os amantes felizes e saltitantes: “\0/ Amor \0/”. Mais forte, mais fácil de lembrar, mais amor pro seu coração!

    30. Curso de hacker

      Você consegue ensinar alguém a ter ideias? Há vários picaretas no Brasil divulgando e ministrando “cursos hacker”. Todos não passam de leitura de slides e apostilas copiadas de páginas de manuais e tutoriais em sites na Internet. Na sala de “aula” o aluno vê e faz mágica, mas no cenário real a grama muda de cor. 🐴 No entanto, não fique triste, ainda dá tempo de aprender segurança de verdade.

    31. Minha internet é de 10 megabaites!

      O mercado (sempre ele) cria estas babaquices pra vender. A unidade de medida aqui é o Mb (megabit) e não MB (megabyte). Pois é, muda tudo. Se a sua internet é de 10 “megas”, ou seja, 10 Mbps (megabit por segundo) você baixaria aproximadamente 1,25 MB em um segundo, não 10. O macete é dividir por 8 já que 8 bits formam um byte. O mesmo se aplica às placas de rede de 100 Mbps, 1 Gbps, ou as sem fio de 54 Mbps, 108 Mbps, 3G de 1 Mbps etc: é tudo bit, não byte.

    Editado por Fernando Mercês

    Entre para seguir isso  


    Feedback do Usuário

    Comentários Recomendados

    Bacana sr. Mercês! Haha, já vi um pouco disso daí alguma vezes.

    Só um comentário:

    Citar

    [...] e se há compressão de áudio, há perda [...]

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Compressão_sem_perda_de_dados (lossless no inglês)

    Outra coisa que eu posso acrescentar que tem uma relação indireta com a TI é o inglês técnico do pessoal da área. Eu não sou um cara avançado inglês (talvez, nem intermediário rsrs), mas da pra notar que o pessoal não estuda muito inglês! Algumas palavras que o pessoal sempre tem dificuldade em pronuncia (muitas vezes bem diferente do ideal) são Apple, mobile. Ate no curso que estou fazendo o pessoal dá um vacilo (até professores rsrs).

    "Mobaiol" (vídeo já ta no tempo certo, 13s)

    "Mobol"

    Já com a palavra Apple as pessoas no Brasil costumam falar "eipoul", mas o mais correto (creio eu) é "épol".

    Falou em TI é bom investir um pouco no inglês (eu faço isso com aplicativos igual duolingo rsrs)

    Mas todo mundo comete erros! é natural do ser, humano! ;)

    Compartilhar este comentário


    Link para o comentário
    Compartilhar em outros sites

    O número 2 eu discordo.
    Realmente para fontes mais novas isso é verdade, mas fontes antigas ou baratinhas não tem essa proteção "por natureza".
    Ligar uma fonte barata/antiga direto na tomada é pedir para queimar.
    Não é a toa que usar estabilizador era uma coisa comum antigamente. :)

    A número 30 deve ser culpa do marketing. Os caras escrevem Mega e instruem os vendedores a dizerem Megabytes.

    Compartilhar este comentário


    Link para o comentário
    Compartilhar em outros sites

    Ótimo artigo, deu pra aprender bastante e lembrar das vezes que cometi algumas dessas gafes hahaha.

    Compartilhar este comentário


    Link para o comentário
    Compartilhar em outros sites
    Em 28/04/2018 em 19:57, gzn disse:

    lossless

    Valeu cara! Corrigi lá!

    Obrigado a todos pelos comentários. 😉

    Compartilhar este comentário


    Link para o comentário
    Compartilhar em outros sites


    Crie uma conta ou entre para comentar

    Você precisar ser um membro para fazer um comentário

    Criar uma conta

    Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

    Crie uma nova conta

    Entrar

    Já tem uma conta? Faça o login.

    Entrar Agora

×