Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Fernando Mercês

Recuperando mensagens do Outlook Express com Linux

Posts Recomendados

Mesmo com tantos clientes de e-mail evoluídos e cheio de recursos, ainda há muitos usuários do Outlook Express. Talvez por comodidade, uma vez que ele acompanha uma instalação padrão do Windows, ou mesmo por já estar usando há tempos e não pensar em migração.

O problema é que o Outlook Express, como o próprio nome sugere, é um software para uso doméstico. Ele não foi feito pensando em usuários profissionais mas infelizmente ainda há muitas empresas o utilizando. O resultado é um grande volume de mensagens e caixas postais que o Outlook Express não consegue gerenciar.

Por conta deste e outros aspectos da arquitetura do Outlook Express, é comum acontecerem problemas como perda mensagens ou corrompimento de arquivos DBX (pastas de mensagens). Neste artigo veremos como recuperar mensagens quando estes problemas acontecem, usando o GNU/Linux.

Antes de começar, vamos entender um pouco de como o Outlook Express organiza os dados. Primeiro, há o que ele chama de Identidades, que são perfis de usuário diferentes. Alguns problemas podem ser resolvidos criando uma nova identidade e importando as mensagens para da identidade antiga ela.

A segunda divisão são as pastas. Estas incluem a Caixa de entrada, Itens enviados, etc. Além disso, para cada pasta que você cria manualmente, sendo sub-pasta da Caixa de entrada ou não, o Outlook cria um novo arquivo com extensão DBX no seu diretório de armazenamento. Sendo assim, cada pasta representa um arquivo DBX.

Todas as mensagens são armazenadas em pastas (arquivos DBX). Uma vantagem da estrutura do Outlook é que quando você deleta uma mensagem, mesmo da pasta Itens excluídos, ela não é mais exibida no Outlook, mas continua armazenada no arquivo DBX, o que permite sua recuperação. Em contra-partida, os arquivos DBX nunca diminuem de tamanho, mesmo que você exclua as mensagens. Para resolver isso você precisar compactar as pastas, pelo próprio Outlook Express, mas junto com as referências das mensagens deletadas, você excluir também a possibilidade de recuperá-las.

Agora vamos ao que interessa, apresentar o software que faz toda mágica. Seu nome é undbx [1], numa sugestão de extrair o conteúdo de arquivos DBX, que é exatamente o que ele faz. O undbx é um software livre.

Instalação

$ tar -xvzf undbx-0.20.tar.gz
$ cd undbx-0.20
$ ./configure
$ make
$ sudo make install

Se tudo correr bem, você poderá executar o comando undbx a partir de qualquer diretório. O undbx roda em modo texto mas existe uma interface gráfica em HTA (HTML Application) que roda no navegador. Para usá-la, basta dar um duplo-clique no arquivo undbx.hta.

1-undbxhta.png

O uso é bem simples, seja pela linha de comando ou pela interface HTA mostrada acima. Basta selecionar a pasta que contenha os arquivos DBX, que pode ser até mesmo um compartilhamento Windows, e em seguida selecionar um diretório onde serão armazenadas as mensagens recuperadas. Então é só clicar no botão Extract! e aguardar os resultados.

Dica: Para descobrir onde ficam os arquivos DBX, abra o Outlook Express e vá em Ferramentas > Opções > Manutenção > Pasta de armazenamento.

Via modo texto, você pode usar a opção –recover ao undbx quando for selecionar arquivos DBX corrompidos. No site do fabricante também há um binário compilado que roda no Windows e uma GUI em VBS, além da HTA.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Outra alternativa é usar o libpff, além de recuperação de mensagem o mesmo te permite realizar análise forense e recuperar até mesmo mensagens apagadas em PFF e OFF.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

Entre para seguir isso  

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×