Jump to content

Joana Mao

Membros
  • Posts

    0
  • Joined

  • Last visited

1 Follower

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

Joana Mao's Achievements

2

Reputation

  1. Um grupo de seis kaospilots (alunos da Kaospilot, uma escola dinamarquesa de empreendedorismo e impacto social) colaborou nos últimos meses com uma rede social descentralizada, para reescrever um novo protocolo que atende e beneficia as necessidades de comunidades nativas na Nova Zelândia e na Índia. O objetivo principal era desenhar um processo de design não extrativista. Onde as necessidades das comunidades pudessem ser identificadas e ao mesmo tempo que suas identidades culturais fossem preservadas. A team of six kaospilots (students from Kaospilot, a danish school of entrepreneurship and social impact) have collaborated with a decentralized social network in recent months to rewrite the network's protocol in order to serve and benefit the needs of native communities in New Zealand and India. The main goal was to design a non-extractive process by which the needs of the communities would be identified while preserving their cultural identities. Para discutir algumas das descobertas e desafios desse projeto sistêmico, os kaospilots conversaram com Antonio Marcos Alberti, PhD em Eletrônica e Telecomunicações, criador da NovaGenesis e pioneiro no design da Internet do Futuro. O diálogo foi assistido por uma audiência ao vivo no dia 11 de maio e posteriormente publicado na rede brasileira RenaSCIdade. To discuss some of the findings and challenges of this systemic project the kaospilots sat down in dialogue with Antonio Marcos Alberti, PhD in Electronics and Telecommunications, the creator of NovaGenesis and a pioneer in Future Internet. The dialogue was viewed by a live audience on may 11th and was later published at the brazilian network RenaSCIdade. Este artigo é uma pós-vida reflexiva deste diálogo e é co-escrito entre o grupo de alunos e o professor Alberti. Aqui, faremos uma reflexão sobre os tópicos de criação de valor, testes de usuários não extrativistas e o futuro do design da Internet. Não será fornecido um resumo do diálogo e recomendamos que o leitor veja o diálogo na íntegra através do vídeo: This article is a reflective afterlife of the dialogue that took place and it is co-written between the kaospilot team and professor Alberti. We will reflect on the topics of Value creation, Non-extractive user testing and the future of internet design. A resume of the dialogue will not be given and we recommend that the reader view the dialogue in full through the video: É POSSÍVEL MEDIR A CRIAÇÃO DE VALOR SISTÊMICO? / IS MEASURING SYSTEMIC VALUE CREATION POSSIBLE? O primeiro tópico da conversa dizia respeito à criação e medição de valor em um trabalho sistêmico. Assim que se começa a trabalhar sistematicamente, surgem as perguntas: Como podemos medir se estamos avançando ou não? Como medir se o processo de cocriação está agregando valor ao trabalho? E a métrica da prosperidade? Analisar o efeito da cocriação na prosperidade de um sistema é difícil. A prosperidade em si é multidimensional e pode acontecer em termos de economia, economia de tempo, aprendizado, treinamento de liderança, troca de conhecimento, etc. The first topic held in conversation concerned the creation and measurement of value in systematic work. As soon as you start working systematically the questions arise: How can we measure whether we are advancing or not? How do you measure whether the co-creation process is adding value to the work? And the metric of prosperity, in fact? Analyzing the effect of co-creation on prosperity of a system is difficult. Prosperity itself is multidimensional and can happen in terms of economics, time savings, learning, leadership training, knowledge exchange etc. Como um sistema é um corpo complexo formado por indivíduos e interações dinâmicas, ele não é previsível, linear ou estático. Portanto, ter qualquer previsão sobre como e quando medir o valor de um trabalho sistêmico é um processo complexo ou talvez até impossível. Só podemos saber os resultados exatos de um processo sistêmico depois que a dinâmica é colocada em prática. É como na natureza, só podemos calcular as probabilidades de que um experimento tenha um determinado resultado, mas só saberemos o resultado efetivamente após o cálculo (realizando as trocas e dinâmicas em grupo). As a system is a complex body made up of individuals and dynamic interactions, it is not predictable, linear and static. So, having any prediction on how and when to measure value is a complex process or maybe even impossible. We may only be able to know the exact outcomes of a systematic process after the dynamics are put into effect. It is like in nature, we can only calculate probabilities that an experiment will have a certain result, but we will only know the result effectively after computing (performing the exchanges and dynamics in a group). À medida que o projeto desdobrava seus efeitos, os kaospilots receberam feedback de stakeholders com as quais trabalharam, como: "O método que vocês definiram para trabalhar nesse processo de mudança de forma mais embasada no diálogo, abriu a minha mente sobre como eu devo abordar o nosso trabalho no futuro ”. - líder da comunidade As the project unfolded its effects the kaospilots received feedback from parts of the stakeholders they had worked with stating the following: “The method you have framed for working with the change process in a more dialogue based way has given me food for thought on how I should approach our future work”. - community leader Este feedback mostra que o valor surgirá organicamente. É importante romper com os modelos lineares para sermos liderados por processos de cocriação. A geração de valor surge como um comportamento social mais do que um resultado quantificável. As seen in this feedback the value will emerge organically. It is important to break free from linear models and be led by co-creation processes. The generation of value emerges as a social behavior more than a quantifiable result. EXISTE TESTE DO USUÁRIO NÃO EXTRATIVISTA? / DOES NON-EXTRACTIVE USER TESTING EXIST? Ao discutir o potencial dos testes de usuários não extrativistas, descobrimos que o termo parece ser novo no campo, já que o Prof. Alberti confirmou que foi a primeira vez que ouviu falar dele. Upon discussing the potential of non-extractive user testing we found that the term seems to be new in the field as Prof. Alberti confirmed it was his first time hearing of it. O grupo da Kaospilot tem tido dificuldades com o termo e sua definição e, embora o objetivo do termo seja redefinir como a indústria de tecnologia inclui as perspectivas de seus usuários em seu design, a conotação das palavras pode não ser adequada. Uma pergunta que surge disso é: tentando não ser extrativista em relação aos usuários, o termo “teste do usuário” serve ao propósito ou precisamos renomear o processo de incluir as perspectivas do usuário? Alguém poderia argumentar que o teste do usuário tem uma conotação sedimentada para a extração em sua história. Uma reformulação poderia ser: "Capacitação de inclusão de usuários”? Uma vez que o termo e o propósito por trás dele podem ainda estar em um estágio pioneiro, parece que temos a possibilidade de moldar sua denominação e a sua prática. The kaospilot team have been juggling with the term and its definition for weeks and though the purpose of the term is to redefine how the tech industry includes the perspectives of its users in it’s design the connotation of the words might not be fitting. One question arising from that is: If one attempts to be non-extractive towards one's users will “user testing” then serve the purpose or do we need to rename the process of including user perspectives? One could argue that user testing has a sedimented connotation to extraction in its history. Could a rephrasing be: “Capacity building user inclusion”? Since the term and the purpose behind it may yet be at a pioneering stage it seems that we might have the possibility to shape it’s phrasing and practice. O FUTURO DO DESIGN DA INTERNET SERÁ FEITO POR HUMANOS?/ IS THE FUTURE OF INTERNET DESIGN MADE BY HUMANS? “Prepare-se para a cocriação híbrida entre máquinas e pessoas. Ela precisará ser multidisciplinar. Será difícil ter programadores capazes de implementar protocolos, compreender as leis sistêmicas, empatia, comunicação não violenta e preservação de culturas. ” - Antonio Alberti “Get ready for hybrid co-creation with machines and people. It needs to be multidisciplinary. It will be difficult to have programmers that are capable of implementing protocols, understanding the systemic laws, empathy, non-violent communication and preservation of cultures.” - Antonio Alberti Aproveitar os avanços tecnológicos exponenciais para co-criar novos modelos e tecnologias baseadas em valores humanos se faz necessário. Só assim poderemos transformar realidades de forma ética, respeitosa, inclusiva, não extrativista e preservando a diversidade. O desenho de alternativas à Internet passa por esse caminho de cuidado, inclusão e equilíbrio emocional, aliado ao aprimoramento técnico. Taking advantage of exponential technological advances to co-create new models and technologies based on human values is a must. Only in this way can we transform realities in an ethical, respectful, inclusive, non-extractive way, preserving diversity. The design of alternatives to the Internet goes through this path of care, inclusion and emotional balance, coupled with technical improvements. Temos que aceitar que estamos observando uma mudança dramática no jogo - uma ruptura em termos do papel futuro dos aspectos humanos na criação de valor. Conforme a tecnologia evolui para uma inteligência mais complexa, os humanos precisam trabalhar junto com a tecnologia para ensinar a inteligência a respeitar a cultura e fornecer bons exemplos para o futuro do design da Internet. We have to accept that we are observing a dramatic change of the game – a disruption in terms of the future role of the human aspects in value creation. As technology evolves towards more complex intelligence; humans need to work together with technology to teach the intelligence to be respectful of culture and provide good examples for the future of Internet design. Sobre os co-autores/ About the co-authors Kaospilot - Cohort 4: A Kaospilot é uma escola de liderança criativa e empreendedorismo com significado. Durante o programa de formação, um semestre é dedicado a um projeto de Liderança Sistêmica (SLA) para praticar o pensamento sistêmico em projetos reais. O SLA Cohort 4 é um grupo de kaospilots formado por Joana Mao, Alexander Haals, Anna Elkjær, Martin Hejl, Lazlo Denis e Anders Jahn. Juntos eles mergulharam no mundo do design da internet do futuro colaborando com uma rede social descentralizada com o desafio de reescrever um novo protocolo com respeito `as necessidades em estruturas de comunicação de comunidades. Kaospilot - Cohort 4: Kaospilot is a school of creative leadership and meaningful entrepreneurship in Denmark. During its education program, a full semester is dedicated to a Systemic Leadership Assignment (SLA) to practice systemic thinking in real world projects. The SLA Cohort 4 was a team of kaospilots formed by Joana Mao, Alexander Haals, Anna Elkjær, Martin Hejl, Lazlo Denis and Anders Jahn. Together they dove into the world of future internet design collaborating with a decentralized social network with the challenge of rewriting a new protocol to respect the cultural needs of communities in communication structures. Antonio Marcos Alberti é engenheiro, professor, coordenador do Information and Communications Technologies (ICT) Laboratory do Inatel e programador C/C++. É doutor em Eletrônica e Telecomunicações pela Unicamp e pós-doutor pelo Electronics and Telecommunications Research Institute (ETRI) da Coréia do Sul. Autor de mais de 100 artigos científicos. Já ministrou mais de 60 palestras sobre tecnologia e suas disrupções, incluindo HackTown, Futurecom, Exponential Conference, Campus Party, TEDxInatel, Pint of Science, Ciência no Boteco, etc. Colunista do Olhar Digital, EngenhariaÉ e Futurecom Digital. Pai da arquitetura NovaGenesis. Contribuiu para documento de requisitos para Internet do Futuro na Coréia do Sul e nas discussões iniciais do Plano Nacional de M2M/IoT. Criador do movimento de empreendedorismo social em rede chamado Renascidade e autor da parte técnica do projeto de Integração de Soluções IoT para Cidades Inteligentes financiado pelo BNDES. Hacker de tendências, pioneiro da Internet do futuro e consultor. Antonio Marcos Alberti is an engineer, professor, head of the Information and Communications Technologies (ICT) Laboratory at Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL), Brazil, and a C/C ++ programmer. He holds a PhD in Electronics and Telecommunications from Unicamp, Brazil, and a post-doctoral degree from Electronics and Telecommunications Research Institute (ETRI), Korea. He is the author of more than 100 scientific articles. He has lectured more than 60 talks about technology and its disruptions, including talks at HackTown, Futurecom, Campus Party, TEDxInatel, Pint of Science, Science in Boteco, etc. He is columnist of Olhar Digital, EngenhariaÉ and Futurecom. Chief architect of NovaGenesis future Internet project (since 2008). Creator of the social network entrepreneurship movement called Renascidade. He has contributed for Future Internet in South Korea and in the initial discussions of the Brazilian National M2M/IoT Plan. Trend hacker, Future Internet pioneer and consultant.
×
×
  • Create New...