Ir para conteúdo

gzn

Membros
  • Total de itens

    8
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutral

Dados pessoais

  1. Trace into no ollydbg

    Outra ideia que tive e fiz também é pausar a execução durante um run trace into demorado e colocar um bp depois do trecho que demora muito e depois continuar. Dessa forma ele vai e para no bp e depois disso é só apertar para fazer o run trace into de novo. Isso se o trecho for executado uma única vez rs, do contrario a gente ia te que ficar perdendo tempo fazendo esse processo manualmente rs (bem, eu soube que todo depurador geralmente tem uma API para automação, quem sabe não seria por aí rs). Mercês, devido a essas carências no Olly 2.01 eu descobri outro depurador chamado x64dbg. Ele parece fantástico, parece ter muito mais coisa do que no Olly (inclusive um decompilador interessante chamado snowman). Baixei ele ontem e testei, porém to apanhando aqui: 1º Tentei achar uma forma de salvar as configurações do "Trace into", mas toda vez tem que preencher o diálogo lá (a gente aperta Ctrl+Alt+F7 e tem que faze tudo de novo)... 2º Tentei achar um Hit trace com frequencia de execução, igual ao que o Olly faz na coluna "Back" da janela "Run trace."...
  2. É praticando que se aprende

    Já que você tá com pouco tempo, mas as vezes gosta de fazer um vídeo explicativo sobre RE (o que eu acho muito bacana). Você poderia escolher um desafio simples (pode ser de competições anteriores) que cobre alguns conceitos essenciais em ER. Sempre vale a pena Mêrces, você é o cara mano! Muito humilde e explica bem! rs Se teve com certeza está aqui entre nós (Mente Binária) porque o pessoal daqui é fera! rs Abraços Mercês!
  3. Trace into no ollydbg

    Nossa, muito obrigado pela resposta Fernando Mercês. Pois é, sobre o run trace ser uma operação custosa eu vi mesmo no tutorial alertando, mas achei que mesmo demorando ele ia protocolar. Era esperado o mesmo comportamento de execução tanto no Windows quanto no Wine. Eu fiz um teste no Windows deu tudo certo, protocolou como esperado . Ah! Falando sobre a operação ser custosa durante o run trace, lá no tutorial diz que a gente pode pular certos códigos que não tem saltos para código externo: Só que nessa versão do olly (2.01) quando eu clico com botão direito na janela CPU (onde tem o disassembly) sobre a seleção não acho essa opção... Eu pesquisei na internet e vi que o método é diferente e parece menos prática... https://reverseengineering.stackexchange.com/a/8292
  4. Trace into no ollydbg

    E aí galera, mais uma vez estou aqui! Fui ver um vídeo do Mercês sobre Ollydbg no YouTube (do canal mente binária) e acabei que baixando ontem o Ollydbg. Coloquei ele para rodar no wine (estou usando uma distro chamada kubuntu). Fui fazer um simples teste com o Ollydbg analisando um binário de nome rtrace.exe seguindo o tutorial neste endereço. Estou confuso: quando eu logo o trace into em um arquivo não consigo ver que a execução passou pelo endereço 4011A3 (onde tem um CMP EAX, 3). Porém, quando eu coloco um ponto de parada nesse endereço ele para ali! Ué, o trace into não guarda todas as instruções executadas? Por que o caminho não está coincidindo? Eu devo estar cometendo alguma bobeira... rs Obs.: Ollydbg que eu usei foi: http://www.ollydbg.de/odbg201.zip O binário que eu examinei foi o seguinte: http://www.ollydbg.de/tut_rtr.zip (tá dentro desse zip com o nome rtrace.exe) A versão do wine: wine-1.8.7 (Ubuntu 1.8.7-1ubuntu1) Eu fiz um vídeo agora pra vocês verem o que fiz de errado: https://drive.google.com/open?id=0B1q3ErJCNtmTTWx4dGpONjdVcEk (se você baixar fica com resolução melhor do que assistir online)
  5. É praticando que se aprende

    Obrigado Sr. Mercês! É uma honra ter um comentário seu num tópico humilde aqui criado por mim! Daqui a alguns... séculos, depois de muito treino, quem sabe eu participe Esses aí são os melhores do mundo, eu não sou "melhor" nem na minha casa amigo rs Ei, se alguém aqui do fórum resolver algum desafio (que nada, vocês resolverão todos, sem modéstia hem!) poderia depois da finalização dessa competição explicar as táticas usadas para vencê-lo, que tal? Curiosidade Mercês, você poderia listar alguns brasileiros que venceram esse campeonato nos últimos anos?
  6. É praticando que se aprende

    Valeu Leandro Froés, mas esse curso a que você se refere é esse abaixo? Estou aguardando o online (vi um post do Fernando e ele está trabalhando nisso). Realmente preciso fazer algum curso bem básico de ER rs. Atualmente me lembro só de alguns mnemônicos da linguagem de montagem porque a tradução e o significado são bem fáceis de serem obtidos (mov, mover, add, adicionar, pop, retirar da pilha, push, colocar na pilha, etc. e o famoso "no operation", nop, x90). E quanto a linguagem C, linguagem quase requisito para ER, bem, eu fiz um curso introdutório de C assistindo as aulas do prof. André Backes da UFU ("Linguagem C Descomplicada" no youtube), mas qualquer hora estou para ver o curso "Programação Moderna em C" do Fernando (aquelas vídeo aulas sobre C que ele publicou no youtube). Estou no aguardo Leandro Froés, gostei do seu feedback lá no tópico/thread do curso.
  7. É praticando que se aprende

    Obrigado pelo comentário Sr. Leandro Fróes. Sobre não usar a ER para o bem, compreendo a preocupação. Mas, a programação em si tá na mesma situação; podemos usá-la para fins maliciosos também. Devemos deixar de fazer sites com cursos online que ensinam programação de forma interativa e acessível? Acho que não. Bom, meses atrás quando resolvi estudar TI fiz um curso bem interativo e funcional no codecademy sobre SQL. Eu fiquei impressionado! Tinha uma janelinha lá onde você digitava os comandos e aparecia o resultado na hora do lado dessa janela. Tudo bem bolado e bem focado no aprendizado através da prática. A mesma impressão positiva eu também tive do urionlinejudge, que apesar de não oferecer cursos, ele oferece a oportunidade de fazer exercícios e ser avaliado automaticamente. Outro curso também que eu poderia dar um feedback positivo é o curso que estou fazendo agora da CISCO sobre linux (preparatório para Linux Essensials). Esse é um curso onde você tem o material em uma janela e uma máquina virtual do lado para experimentar os comandos. Tem introdução, laboratório e exame para cada módulo. Achei que hoje houvesse algo parecido para ER! rs
  8. É praticando que se aprende

    Olá, sou novo no fórum! Cheguei a conhecer o mente binária através dos vídeos publicados no youtube no canal Papo Binário, que, por sua vez, conheci através de um tweet do Paulo Kretcheu, que inclusive apareceu em um vídeo do canal! Bom, vamos ao que interessa! Galera, apesar de nunca ter me aprofundado na área sempre fui um curioso. De certa forma quando comecei a mexer com linux em 2004 ouvi falar de engenharia reversa achei muito cool! Vez ou outra lia alguma coisa, sempre tive vontade de aprender!, mas nunca dediquei tempo para isso. Venho aqui fazer mais uma sugestão... Com certeza alguns de vocês já deve ter ouvido falar do site urionlinejudge.com.br , um site onde você pode ver problemas de programação e submeter soluções e ser avaliado automaticamente. Não seria bem plausível fazer um tipo desses para engenharia reversa? Um negócio assim seria bem bacana! Por que a motivação? Bom, na época em que comecei a me interessar em aprender engenharia reversa ouvi falar de um site chamado crackmes.de, acho que a pelo menos uns 10 anos atrás até fiz um ou outro crackme lá e parei de estudar essas coisas. Agora quando fiquei animado a voltar a aprender alguma coisa fui ao site e vi que ele está em "manutenção" (acho que devido a algumas mudanças legislativas na União Européia)! "EU OUÇO, EU ESQUEÇO EU VEJO, ME LEMBRO EU FAÇO, E ENTENDO" -- proverbio chinês
×