Jump to content

Gribel

Membros
  • Posts

    12
  • Joined

  • Last visited

Recent Profile Visitors

980 profile views

Gribel's Achievements

0

Reputation

  1. Hahaha, põe gesso nisso! Nível de estatal, então imagine algo ultrapassado. Então, todos os computadores tem o Fog Linux instalados neles. Ele é preparado para formatar e reinstalar o SO de forma automatizada, tudo pela rede. Depois que ele instala, cada técnico precisa conectar o micro origem e o destino por cabo cross e manualmente usam o Windows para configurar a conexão cross em cada micro e depois fazem a cópia entre os micros. O que a companhia quer é não precisar usar o Windows e ter que configurar e copiar manualmente. Querem que o DEFT Linux tenha um script para fazer isso. (bizarro, eu sei)
  2. Complementando: A companhia não quer armazenar dados em rede por alguns motivos particulares a esse tipo de negócio. O processo que a gerência de TI quer é bem engessado mesmo, rodar um script pelo técnico que fizer a troca do equipamento para fazer a restauração do perfil no micro novo, sem que isso precise ir para a rede e retornar. Atualmente, quando a falha é de software, passamos a imagem novamente e logamos em ambos, conectados por cabo cross. A ideia é dar o boot pela rede em ambos e rodar esse script fazendo a cópia por exemplo do MICRO1/sda1/x para MICRO2/sda1/x
  3. Feras, preciso de uma luz e se alguém puder contribuir com sugestões, ficarei muito grato. Imaginem o seguinte cenário: Uma rede corporativa que utiliza em seu parque micros com o SO Windows 7. Esses micros são padronizados e tem as mesmas configurações e hardware. O disco desses micros é dividido em duas partições, sendo uma o SO e aplicativos e a outra o perfil e documentos de cada usuário. Quando um micro desses "para" por algum motivo, o perfil que fica na partição secundária é copiado para um novo micro que substituirá o defeituoso. Atualmente esse processo é manual, feito através de uma console em uma distro Linux reduzida, própria dessa organização. Esses micros são conectados em p2p através de um cabo cross. A organização quer que a cópia seja automatizada através de algum tipo de script, mas a única distribuição autorizada para o uso foi a DEFT. Uma informação adicional: quando um micro é formatado, o processo é feito pela rede com essa mini distro.
  4. Experiência mínima de 5 anos atuando no segmento de Segurança da Informação. Sólidos conhecimentos em gerenciamento de firewalls e proteção de endpoints. Certificações OBRIGATÓRIAS: - Trend Micro Certified Professional for Deep Security - Trend Micro Certified Professional for OfficeScan - NSE 4 - FortiGate Network Security Professional Diferenciais: Conhecimento em firewalls CheckPoint Conhecimento nas ferramentas Qualys Local de trabalho: Araraquara(SP) Enviar CV com pretensão salarial para: vaine.barreira@itbox.online No assunto: "Analista de Segurança"
  5. Oportunidade para Analista de Segurança (Pentests) Sênior Experiência mínima de 5 anos atuando no segmento de testes de invasão. Sólidos conhecimentos em segurança de aplicações (amplo conhecimeno da OWASP). Experiência em pentests em aplicações web, mobile e infraestrutura de redes. Conhecimento de PCI DDS. Conhecimento de shell scripting ou automação de tarefas usando Perl, Python ou Ruby. Certificações EC-Council (CEH, ECSA, LPT), GIAC (GPEN, GWAPT) serão diferenciais Localidade: Araraquara(SP) Enviar CV com pretensão salarial para: vaine.barreira@itbox.online No assunto: Pentest
×
×
  • Create New...