Jump to content

Fernando Mercês

Administradores
  • Content Count

    975
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Fernando Mercês

  1. Version 10

    1 download

    Máquina virtual do Windows 10 para desenvolvedores, disponibilizada pela própria Microsoft com licença válida por 3 meses. Tem 20 GB o download mas ela já vem com o seguinte: Windows 10 Windows 10 SDK Visual Studio 2019 com UWP, .NET desktop e Azure workflows habilitados, além da extensão do Windows Template Studio Visual Studio Code Windows Subsystem for Linux com Ubuntu instalado Modo desenvolvedor habilitado Pode ser uma mão na roda pra criar uma VM de análise de malware.
  2. hahahaha maravilhoso @bsantos. Acontece. De boa. 🙂
  3. Aaaaah, isso muda tudo. Valeu pela info!
  4. Opa, bem vindo(a) à comunidade Mente Binária! É necessário mais detalhes aqui. Ele compila? Se não, qual o erro que aparece? Consegue copiar e colar aqui? Se compila, quando você roda, dá algum erro? Se sim, qual erro? Pode copilar e colar aqui? Eu não olhei sua lógica, mas de cara vi que você tá declarando funções e colocando um ponto-e-vírgula no fim dessa declaração, o que está errado. Ou seja, é preciso alterar de: int Cadastro();{ Para: int Cadastro() { O mesmo vale para as outras funções. Ah, eu recomendaria você dar uma "embelezada" nesse código com uma f
  5. Acho que é quase isso @bsantos. Acho que ele tem um programa compilado para PIC, que é um binário e uma galera se refere como "o hexadecimal" por não ser mais legível, etc (dá pra abrir num editor hexa, claro) e aí ele quer descompilar para C de volta. Eu nunca fiz, mas deve dar sim. Talvez com o IDA ou Ghidra? Acho que vale tentar. Abraços!
  6. Ah, agora que me liguei que a comparação é com descompilador. Desculpe, li muito rápido. Minha opinião é: os disassemblers não são perfeitos. Os decompilers menos ainda. Frequentemente não conseguem inferir o tamanho de um array ou o número de argumentos de uma função por exemplo, que você só vai ter certeza ao avaliar no disassembly (considerando a convenção de chamadas). O próprio IDA tem uma aba “Problems” pra você avaliar tudo o que ele inferiu ou não conseguiu decidir sobre. 😉 Abraço!
  7. Opa, acho que quando você quer saber exatamente o que um binário compilado faz, porque executando você só vê o que ele decidiu fazer. Por exemplo, se tiver um "se estivermos em dezembro faça algo, do contrário faça outra coisa" só veríamos com um disassembler. 🙂 Abraço!
  8. Oi Jose! Muito obrigado pelas palavras. Sobre novos cursos, sim, estamos conversando sobre: pentest, programação básica (Lua ou Go), Assembly... mas ainda não chegamos a um consenso. Abraço!
  9. Version 1.0.0

    4 downloads

    Autoclicker experimental feito por mim. Vídeo: Código-fonte: https://github.com/mentebinaria/autoclicker
  10. Passei um tempo usando o Windows 10 depois de anos em Linux e macOS. Logo percebi dificuldades específicas com shell, instalação de programas, etc. Mas também percebi que é possível deixar o Windows muito próximo, no quesito de usabilidade, de um Linux com shell completo ou macOS. Neste artigo vou mostrar as ferramentas e configurações que mais me ajudaram. Boa leitura! 😉 Gerenciador de pacotes Vou começar falando dele por um motivo muito simples: outros programas podem ser instalados com ele. Pois é, parece que a Microsoft aprendeu com as distros Linux e projetos como o Choco
  11. Uma das apresentações na BlackHat Europe é sobre a Tsurugi, uma distribuição Linux com foco em DFIR (Digital Forensics and Incident Response). Nas palavras dos criadores da distro: A principal ideia por trás do projeto Tsurugi Linux é a simplicidade, já que os tópicos [aos quais ela se destina] podem ser bastantes complexos. Os menus da distro foram organizados na "ordem em que a investigação ocorre" e as ferramentas agrupadas em categorias. São elas: Imaging (fazer imagens do dispositivo afetado) Hashing (checar integridade) Montagem de imagens/dispositivos Criaçã
  12. 42 downloads

    Conci, Aura Javascript para construção de páginas de Web / Aura Conci; João Sérgio Assis - Niterói, RJ: Editora da UFF, 2012. p. : 23 cm. — (Coleção Didáticos EdUFF, 2004) Bibliografia. p. 229 ISBN 978-85-228-0535-8 1. Javascript. 2. Construção de páginas de Web. I. Conci, Aura. II. Assis, João Sérgio. III Universidade Federal Fluminense. IV. Título CDD 370” Excerpt From: Aura Conci e João Sérgio Assis. “Javascript para construção de páginas de Web.” Apple Books.
  13. 295 downloads

    Programação para leigos com Raspberry Pi / Elivelto Ebermam... [et al.]. – Vitória, ES : Edifes ; João Pessoa, PB : Editora IFPB, 2017. 290 p. : il. ; 21 cm. Inclui bibliografia. ISBN 97885________(broch.). ISBN 97885________(e-book). 1. Raspberry Pi (Computador) – Microcomputadores. I. Título. Autores: Elivelto Ebermam Guilherme Moraes Pesente Renan Osório Rios Igor Carlos Pulini
  14. 219 downloads

    Tecnologias e Redes de Computadores / Vanderlei de Freitas Junior; Guilherme Rodrigues de Campos; Vitória Rodrigues dos Santos (Orgs.). – 5. Ed. -- Sombrio: Instituto Federal Catarinense, 2019. 317 f.:il. color. ISBN: 978-85-5644-044-0 1. Redes de Computadores. 2. Tecnologia da Informação e Comunicação.I. Freitas Junior, Vanderlei de. II. Rodrigues de Campos, Guilherme. III. Rodrigues dos Santos, Vitória. IV. Instituto Federal Catarinense. V. Título.
  15. Version 2020

    98 downloads

    Introdução à Robótica Educacional com Arduino - HANDS ON! INICIANTE Autores Marcelo Eduardo de Oliveira Matheus Fernando Lima Zuccherelli Giovanni Polette Dalla Libera Renata Lima Zuccherelli de Oliveira Adriano Rogério Bruno Tech DOI: 10.11606/9786587023052 Pirassununga Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos 2020
  16. Version 1a

    178 downloads

    Estruturas de dados lineares básica Abordagem prática, com implementações em C e Java. Valéria Maria Bezerra Cavalcanti Nadja da Nóbrega Rodrigues Sinopse Número de páginas: 296 ISBN: 9788563406613 Biografia do Autor Nadja da Nóbrega Rodrigues Nadja da Nobrega Rodrigues é mestre em Administração de Empresas (UFPB), especialista em Sistemas de Informação e Redes de Computadores (UFPB) e graduada em Ciência da Computação (UFPB). Trabalhou por 12 anos na indústria de TIC, fazendo parte de empresas públicas como SERPRO, DATAPREV e UFPB (NTI), além de ter atuado em várias
  17. A comunidade gosta muito de ajudar e discutir, mas é preciso ter noção do que pedir. Se estiver com dúvida em algum trabalho ou exercício escolar ou da universidade e quiser ajuda, tudo bem, mas poste o código de até onde você foi. Não adianta postar o enunciado do exercício e pedir "ajuda". Isso não é ajuda, isso é "faça pra mim" e o trabalho/exercício é seu, logo, o professor espera que você faça já que ao concluir o curso você será chamado(a) de programador(a). Invista no seu estudo, não aceite ser um(a) programador(a) meia-boca. Programe! Só assim você vai aprender. Peça ajuda sim, ma
  18. Pesquisadores da Trend Micro encontraram uma nova versão da backdoor utilizada pelo grupo conhecido pelo nome OceanLotus (também conhecido como APT 32, APT-C-00, SeaLotus ou Cobalt Kitty). Ao grupo são atribuídas investidas contra empresas nas verticais de mídia, pesquisa e construção civil. A nova variante da backdoor parece ter como alvo usuários falantes de vietnamita, baseando-se no nome do arquivo através do qual tenta se disfarçar. Vetor de entrada O chega como um bundle com ícone e extensão de documento do Word, só que não é! Fonte: Trend Micro Research Na
  19. @fredericopissarra, O problema é a stack não executável, mas este esquema é só para testes. Normalmente é compilado com as opções -fno-stack-protector e -z execstack do gcc para testar o shellcode. ;-) Abraço.
  20. Oi @Edinho Sousa. É exatamente como se costuma testar um shellcode em C. Tudo que você precisa é: 1. Colocar os opcodes que você quer num buffer. 2. Criar um ponteiro de função que aponte para este buffer. 3. Chamar esta função através do ponteiro criado no passo anterior. Tutoriais sobre shellcode / exploração de binários vão te mostrar isso. Achei um gist aqui: https://gist.github.com/securitytube/5318838 Abraço!
  21. Posta o seu código atual que a gente ajuda. 👍
  22. Oi Edinho, tudo bem? Não tenho nenhuma referência específica, mas acho que consigo citar alguns termos para ajudar na sua busca. Acontece que os compiladores geram diferentes formatos de executável. Para Windows, normalmente é PE. Para Linux, normalmente é ELF. Mas existem vários outros. O nasm suporta uma longa lista (na opção -f). Você vai ter que escolher qual formato seu compilador vai gerar primeiro. Mesmo que queira gerar vários, vai ter que começar por um. Como via de regra, você vai escrever um arquivo em disco contendo: Cabeçalho do formato específico. Seção de c
  23. Toda correção é bem vinda! Já foi. Obrigado! 🤩
×
×
  • Create New...